O ENSINO DA BOTÂNICA ALÉM DA SALA DE AULA: UM ESTUDO DE CASO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AULAS DE CAMPO PARA O APERFEIÇOAMENTO DO ENSINO-APRENDIZAGEM

  • Juliane Pereira-Ribeiro Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Sulamita Marques Correia Rocha
  • Mariana Fonseca de Mendonça Gomes
  • Ana Carolina Simões Ramos

Resumo

Aulas práticas em espaços não-formais estimulam a valorização dos conteúdos ministrados, possibilitando que os alunos participem ativamente nas discussões dos temas abordados. Este estudo visou avaliar as potencialidades da atividade de campo no ensino de conteúdo da botânica no ensino médio, legitimando o pressuposto de que aulas de campo em ambientes externos não formais são mais envolventes e motivadoras, além de auxiliarem na aprendizagem, contextualização e assimilação dos conhecimentos à medida que possibilitam uma visão prática dos conteúdos estudados em sala de aula. O trabalho foi realizado com uma turma de terceiro ano do Ensino Médio, em Vitória, ES.  Após uma abordagem em sala de aula e aplicação de questionários, os alunos foram levados para uma aula de campo em um Parque Municipal, onde foi proposto o questionamento sobre as adaptações das angiospermas e aplicado o segundo questionário. A partir da avaliação dos resultados, pode-se concluir a melhora da compreensão dos conteúdos, evidenciando a importância da contextualização dos conteúdos em um ambiente não formal.

Publicado
2018-11-01
Como Citar
PEREIRA-RIBEIRO, Juliane et al. O ENSINO DA BOTÂNICA ALÉM DA SALA DE AULA: UM ESTUDO DE CASO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AULAS DE CAMPO PARA O APERFEIÇOAMENTO DO ENSINO-APRENDIZAGEM. Revista Científica FAESA, [S.l.], v. 14, n. 1, p. 18 - 28, nov. 2018. ISSN 2316-7327. Disponível em: <http://revista.faesa.br/revista/index.php/Faesa/article/view/231>. Acesso em: 25 abr. 2019.