O DESCASAMENTO A PARTIR DA PERSPECTIVA DA PSICOLOGIA ANALÍTICA: O CASO CASTRO ALVES

  • Isabelle Santos Eleoterio FAESA
  • Alzira Luciana Ferraz de Souza
  • Soliane Peterle Pagotto

Resumo

Introdução

Este relato apresenta o atendimento psicoterapêutico em Psicologia Analítica ao paciente “Castro Alves” (nome fictício), 41 anos, sexo masculino, que luta para concluir os estudos superiores. “Castro Alves” já havia participado anteriormente de um grupo terapêutico, para trabalhar questões relacionadas ao casamento que havia terminado e conhecer-se melhor. O trabalho foi realizado e ele foi encaminhado para psicoterapia individual. O que o trouxe novamente para atendimento foi justamente o fato de dar continuidade ao processo já iniciado no grupo, a fim de que estivesse mais fortalecido para enfrentar as dificuldades especialmente no relacionamento conjugal e familiar.


O paciente trouxe um histórico de sofrimento por não conseguir se posicionar ou tomar decisões próprias, pois priorizava as outras pessoas em detrimento de suas necessidades e desejos. Diante disso, percebeu-se que trabalhar o processo de individuação seria fundamental para que ele conquistasse seu bem-estar.


Segundo Jung a proximidade entre paciente e terapeuta facilita a comunicação e a interação, pois ele acreditava que o envolvimento emocional entre paciente e terapeuta é uma parte importante da relação terapêutica (JUNG, 2004), uma vez que  a psicoterapia consiste num processo dialógico entre paciente e terapeuta, no qual são trabalhados conteúdos com significativa carga emocional.


Propõe-se aqui apresentar um exemplo de como a Psicologia Analítica pode contribuir para que o paciente supere as dificuldades relacionais através do processo de individuação que consiste em desenvolver as potencialidades, impulsionando as forças do inconsciente e adquirindo um caráter peculiar (SILVEIRA. 2006). Esse processo, “não consiste num desenvolvimento linear. É um movimento de circunvolução que conduz a um novo centro psíquico” (SILVEIRA, 2006, p. 77).


 
Materiais e métodos

O atendimento a “Castro Alves” acontece na Clínica de Psicologia da FAESA, no estágio supervisionado em Psicologia Analítica. Consiste numa sessão semanal, com duração, de 50 minutos, iniciada em abril de 2018 com término previsto para novembro de 2018. A análise dos atendimentos se dá na supervisão coletiva, estudo dos prontuários do paciente atendido, bem como na análise e discussões dos relatos semanais e das leituras dos referenciais bibliográficos, que abordam as temáticas emergentes nas sessões. Além disso, várias técnicas poderão ser utilizadas “como interlocução, interpretação de sonhos, técnicas expressivas de desenho, pintura, colagem, esculturas, atividades corporais, atividades lúdicas, produção de textos, utilização de contos de fadas e de outras histórias” (ELEOTÉRIO, 2017, p.123). As produções decorrentes disso, como textos, desenhos e narrativas, são analisadas à luz da Psicologia Analítica gerando novas reflexões.


 
Resultados e discussão

Os resultados parciais desse atendimento que somam aproximadamente 20 encontros, até o momento, apontam para a importância da psicoterapia a partir da perspectiva da Psicologia Analítica. Uma vez que suas intervenções englobam diversas técnicas que estimulam a expressão e a comunicação do paciente.


Para a evolução do processo é necessário, portanto, que o terapeuta conheça as particularidades de cada técnica utilizada a fim de que se sinta habilitado a utilizá-las em sua atuação profissional, beneficiando os indivíduos que buscam psicoterapia. Por meio da pesquisa bibliográfica realizada e da sua correlação com o atendimento apresentado, tornou-se possível compreender os aspectos teórico-metodológicos, reconhecer sua eficácia, além de possibilitar a reflexão relacionada à utilização das técnicas psicoterápica principalmente da arteterapia, no atendimento clínico apresentado. 


Dessa forma, ao longo das sessões realizadas com o paciente, tornou-se perceptível a redução de seu nível de ansiedade, e o fortalecimento da sua autoestima possibilitada, em grande parte, pela escuta do terapeuta às suas verbalizações, graças ao vínculo construído durante as primeiras sessões. Por fim, não cabe aqui uma conclusão (ou desfecho) do caso apresentado uma vez que o paciente ainda encontra-se em processo psicoterapêutico.


 


Agradecimentos

Agradecemos à FAESA Centro Universitário por nos permitir realizar este atendimento na Clínica de Psicologia da instituição.


 
Referências

 


ELEOTÉRIO, Isabele Santos. O processo de Individuação e a gratidão do viver. In: NUNES, Andrea Loss; ELEOTÉRIO, Isabele Santos; BORGES, Luciana Souza. Interações Clínicas em Gestalt-Terapia e Psicologia Analítica. Curitiba: Editora CRV, 2017.


JUNG, Carl Gustav. A prática da psicoterapia. Petrópolis: Vozes, 2004.


SILVEIRA, Nise da. Jung: vida e obra. 20. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.


 

Publicado
2018-11-13
Como Citar
ELEOTERIO, Isabelle Santos; DE SOUZA, Alzira Luciana Ferraz; PAGOTTO, Soliane Peterle. O DESCASAMENTO A PARTIR DA PERSPECTIVA DA PSICOLOGIA ANALÍTICA: O CASO CASTRO ALVES. Anais da Jornada Científica e Cultural FAESA, [S.l.], p. 101 - 103, nov. 2018. Disponível em: <http://revista.faesa.br/revista/index.php/jornadaCientifica/article/view/441>. Acesso em: 14 nov. 2019.