A ABORDAGEM DE DILEMAS FEMININOS EM PSICOLOGIA ANALÍTICA: CASO AFRODITE

  • ISABELE SANTOS ELEOTERIO FAESA
  • Daiany Dias Ferreira
  • Laís de Souza Abreu Santos

Resumo

Introdução

O presente texto apresenta o relato de experiência de atendimento clínico em Supervisionado IV, Práticas Psicoterápicas em Psicologia Analítica, a uma paciente de 46 anos, solteira. Para se referir à paciente se fez necessário o uso do pseudônimo, assim mantendo o sigilo e preservando a identidade desta. Pelas características de ser cuidadosa com sua beleza e estar sempre aberta a novos amores, será utilizado o pseudônimo de “Afrodite”, que na mitologia grega, é considerada a deusa do amor e da beleza (TERENZI, 2015).


A paciente procurou a clínica-escola FAESA, no ano de 2017, com uma queixa relacionada à dificuldade de superação do último relacionamento. Em um primeiro momento foram realizados cinco atendimentos em grupo e em virtude do grupo não ter continuidade, Afrodite foi encaminhada para a modalidade de atendimento individual. Desde então ela passou a relatar sua dificuldade em se relacionar afetivamente com outra pessoa.


 


Materiais e Métodos

Os atendimentos discutidos neste texto compreende um período de três meses, entre abril e julho, totalizando seis atendimentos com duração de 50 minutos cada, realizados uma vez por semana. Como suporte para os atendimentos foram utilizados: pesquisa bibliográfica e entrevistas livres.


 
Resultados e Discussão

Jung, fundador da Psicologia Analítica, enfatizou que a terapia é um esforço conjunto do analista e do analisando, trabalhando juntos como iguais. Uma vez que os dois formam uma unidade dinâmica, o analista precisa também estar aberto à mudança como consequência da interação. Jung sentia que a terapia é, primariamente, uma questão do inconsciente do analista interagir com o inconsciente do analisando, que não pode ir, na terapia, mais longe do que o terapeuta já foi (FADIMAN, FRAGER, 1986, p. 61).


A análise dos sintomas concentra-se nas manifestações relatadas pelo paciente. Esses sintomas geralmente são aliviados ou desaparecem (SCHULTZ, SCHULTZ, 2004). O atendimento psicoterapêutico de Afrodite foi dividido em três fases: Elaboração, Acolhimento e Vínculo.


Elaboração: na fase de elaboração do atendimento a ficha de Afrodite foi selecionada. Como ela já tinha sido atendida na clínica-escola FAESA na modalidade de psicoterapia em grupo e foi encaminhada para modalidade de psicoterapia individual, após a seleção foi realizado contato para verificar se a paciente ainda tinha interesse em dar continuidade à psicoterapia.


Acolhimento: nessa segunda fase, após a paciente confirmar o interesse nos atendimentos, foi agendado com um horário para a primeira sessão. Nessa sessão foi realizado o acolhimento e a entrevista de anamnese. Durante a entrevista, a paciente se mostrou bastante ansiosa para os atendimentos, relatando suas angústias e inquietações de uma só vez, falou sobre a família, a vida, o trabalho, os amores e quanto a vida profissional se mostrou bastante segura no que faz.


Vínculo: essa fase aconteceu nas sessões posteriores em que a paciente se mostrou mais tranquila e concentrada em expor um assunto por vez. A cada atendimento ela trazia reflexões das sessões anteriores. No decorrer dos atendimentos Afrodite se mostrou aberta a tentar tomar decisões diferentes das de costume para tentar ficar bem consigo.


 
Agradecimentos

Primeiramente agradecimentos a Deus, pela oportunidade de forma singular de estar aqui, ao Centro Universitário FAESA de proporcionar o espaço clínica-escola, à coordenação do Curso de Psicologia e ao corpo docente e também aos colegas de estágio que durante as supervisões participaram ativamente dos debates.


 


REFERÊNCIAS

FADIMAN, J.; FRAGER, R. Teoria da personalidade. São Paulo: HARBRA, 1986.


JUNG, C.G. A prática da psicoterapia. 13. ed. Rio de Janeiro: Petrópolis: Vozes, 2011.


SCHULTZ, P. D.; SCHULTZ E. S. Teorias da personalidade. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.


TERENZI, M. J. Do caos à espuma: o sinuoso percurso de Afrodite. Revista DAPesquisa. Florianópolis, v. 10, n. 13, p. 63-74, jun. 2015. Dsiponível em: <revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/download/5063/4366>. Acesso em: 17 ago. 2018.


 


 

Publicado
2018-11-13
Como Citar
ELEOTERIO, ISABELE SANTOS; FERREIRA, Daiany Dias; SANTOS, Laís de Souza Abreu. A ABORDAGEM DE DILEMAS FEMININOS EM PSICOLOGIA ANALÍTICA: CASO AFRODITE. Anais da Jornada Científica e Cultural FAESA, [S.l.], p. 71- 73, nov. 2018. Disponível em: <http://revista.faesa.br/revista/index.php/jornadaCientifica/article/view/444>. Acesso em: 15 set. 2019.