RELATO DE EXPERIÊNCIA: ESTÁGIO SUPERVISONADO BÁSICO IV

Turma 10C - 2018-2

  • ALESSANDRO FAZOLO CEZARIO FAESA
  • Ana Paula Monteiro, APM FAESA
  • Thamires Carvalho, TC FAESA
  • Lucas Araujo, LA FAESA
  • Carlos Gabriel Alvarenga, CGA FAESA
  • Gabriela Reis dos Santos, GRS FAESA
  • Lorena Sodré, LS FAESA
  • Yuri De Boni, YB FAESA

Resumo

Introdução

Este trabalho relata a vivência de atendimentos clínicos no Estágio Curricular Supervisionado Básico IV, realizado na Clínica de Psicologia da Faculdade Integradas Espírito-Santense sob supervisão do Prof. Dr. Alessandro Fazolo Cezario.


Para os atendimentos clínicos foi adotada a abordagem da terapia cognitivo comportamental (TCC). Conforme Knapp & cols. (2004), a TCC possui três princípios básicos: 1) a atividade cognitiva influencia o comportamento; 2) a atividade cognitiva pode ser monitorada e alterada; 3) a mudança comportamental desejada pode ser influenciada mediante a mudança cognitiva. Assim, a TCC não é um modelo linear uma vez que existe uma interação recíproca de pensamentos, crenças, sentimentos, comportamentos, ambiente e fisiologia. A modificação em qualquer um desses componentes pode iniciar mudanças nos demais, já que todos eles se relacionam. (Knapp & cols., 2004).


O estágio ocorreu no semestre 2018/1, com supervisões e atendimentos clínicos semanais. Foram atendidos um total nove pacientes, sendo que dois desistiram ao longo do semestre e dois receberam alta. Dos cinco pacientes que continuam em atendimento, três estão em estágios mais avançados da terapia e foram escolhidos para os relatos aqui destacados.


Um deles trata-se de um adulto, gênero masculino, queixas de baixa motivação, baixa autoestima, conflitos familiares, também existe uma demanda em relação a orientação profissional que foi um dos motivos do encaminhamento, o paciente se queixa do controle exercido por seus familiares e gostaria de encontrar um emprego, mas tem medo de conseguir um trabalho e perder o benefício que recebe do governo. A outra paciente é uma adulta, gênero feminino, apresenta demanda de violência doméstica por parte do pai, presenciou e sofreu violências por parte do mesmo e apresentou esta


 


demanda para o início do processo terapêutico. Ao decorrer das sessões surgiu fortemente, questões sobre relacionamentos e a maneira fugaz como se davam todos os
seus envolvimentos conjugais. A paciente adotou um padrão disfuncional acerca dos seus relacionamentos, e demonstra desvalorização pessoal. O terceiro caso trata-se de uma adulta, professora pós-graduada e concursada no Governo do Estado. Buscou o serviço do plantão psicológico da Clínica Escola da FAESA em maio de 2017. Na época trouxe a demanda de uma depressão severa com ideação suicida e crises intensas de choro. Foi encaminhada a psicoterapia. No mês de abril de 2018 foi realizado contato com a paciente para verificar se a mesma ainda tinha interesse na psicoterapia. A paciente relatou que ainda sentia necessidade de acompanhamento psicoterápico devido a sua ansiedade.


Esse estudo tem por objetivo fornecer um apoio emocional, condições para que o paciente tenha capacidade de identificar, compreender e mudar os seus pensamentos
que por muitas vezes geram o sofrimento. Sendo assim, proporcionar saúde mental e capacidade de mudança.


 


Materiais e métodos

No que concerne a coleta de dados, foi utilizado a entrevista clínica (anamnese) como método principal, a anamnese apresenta certo grau de estruturação, pois há uma relação de pontos de interesse, com perguntas abertas pré-estabelecidas e um esquema pré-definido. As pautas são ordenadas e guardam certa relação entre si, pois buscam coletar informações acerca da demanda apresentada pelo paciente, além da história pessoal e saúde, desenvolvimento psicomotor e cognitivo, escolarização, interesses e habilidades, afetividade e socialização. No decorrer da entrevista, investigamos se necessário outros aspectos que consideramos relevantes, elaborando novas questões. O entrevistado fala livremente sobre as pautas, e caso se distancie, nós intervimos de forma sutil.


Quando necessário, alguns testes foram aplicados para melhor concepção do estado emocional dos indivíduos na terapia, dentre eles o BDI (Inventário de Depressão de Beck) que se define como um teste desenvolvido para avaliar sintomas de depressão, sendo amplamente utilizado na investigação da intensidade dos sintomas depressivos, tanto em clínica como em pesquisas (Souza, 2010), e o BAI (Inventário de Ansiedade de Beck) que se caracteriza como uma escala de auto relato que mede a intensidade dos sintomas de ansiedade. As ferramentas "Áreas da vida" e "Resolução de problemas” também foram utilizadas se mostrando favoráveis para a compreensão dos casos e, por conseguinte uma melhor eficácia na terapia.


Nas sessões foram utilizadas algumas técnicas, dentre elas a psicoeducação que tem uma importante função de orientar o paciente em diversos aspectos, seja a respeito das consequências de um comportamento, na construção de crenças, valores, sentimentos e como estes repercutem em sua vida e na dos outros. Contribui ainda para que a pessoa possa enfrentar possíveis estigmas e preconceitos, bem como nortear o paciente e sua família quanto à existência ou prevalência de doenças, sejam elas de ordem física, genética ou psicológica.


Além disso, foi feita a entrevista motivacional. De acordo com Miller e Rollnick (2013) a entrevista motivacional tem por objetivo o fortalecimento dos estados motivacionais e o comprometimento com uma mudança estabelecida de forma colaborativa durante o processo terapêutico. Desta forma, busca auxiliar o indivíduo nos processos de adaptação cognitiva e comportamental, eliciando a resolução das ambivalências na forma de interpretar a realidade.


Outra técnica utilizada foi a Estratégias de Enfrentamento que é um conjunto de esforços cognitivos e comportamentais para lidar com demandas externas e/ou internas específicas. Caracteriza-se como um processo, pois muda de acordo com o contexto, ou seja, o sujeito irá apresentar diferentes estratégias de enfrentamento de acordo com a demanda situacional. Além disso, ela é adquirida por meio da aprendizagem, isto é, através das experiências vividas pelo sujeito. (Lazarus, Folkman, 1984; Nunes, 2010).


Também foram utilizados o Registro de Pensamentos Disfuncionais (RPD), que ajuda o paciente a identificar pensamentos automáticos e errôneos e criar um pensamento alternativo diante de situações emocionalmente significativas, e o Plano de Resolução de Problemas (PRP), por meio do qual o paciente pode enumerar os problemas que o afetam e elencar as causas dos mesmos para criar estratégias eficazes de resolução de cada um deles.


 


Resultados e discussão

Os atendimentos estão em andamento no semestre de 2018/2. Como resultado parcial, pode-se relatar o quanto a TCC é eficaz para vários tipos de transtornos e por ser um tratamento breve e focal, o que aumenta a adesão e diminui o tempo de intervenção.


O resultado alcançado com as técnicas utilizadas nos ajudou a compreender os casos de uma maneira mais aprofundada e satisfatória. Desta forma, o questionamento socrático, que foi um dos procedimentos mais utilizados nos atendimentos feitos, contribuiu para descobertas sobre a estrutura do pensamento do paciente, ajudando-o a flexibilizar esses pensamentos e mudar crenças rígidas sobre si mesmo, os outros e o ambiente. As escalas de Beck aplicadas (BDI, BAI) e seus resultados contribuíram em diversos casos para a confirmação de demandas apresentadas e em um dos casos, apontou depressão
leve e ansiedade grave o que corroborou com a demanda trazida em um diagnóstico prévio ao atendimento atual de Transtorno de ansiedade generalizada.


As ferramentas utilizadas no atendimento também nos deram subsídios para entender o contexto e a configuração da demanda do paciente. Por exemplo, as ferramentas "Áreas da vida", "Resolução de problemas” e “Balança decisória” ilustram bem essa afirmativa, pois através de seu uso pudemos conhecer um pouco mais do contexto em que o paciente estava vivendo atualmente e sua trajetória. Através deles foi possível identificar demandas como baixa motivação, baixa autoestima, conflitos familiares, e a partir de então traçar estratégias de resolução de problemas. Os resultados foram benéficos para os próprios pacientes de imediato, pois através da ponderação exercida conseguiram se perceber em relação a alguns aspectos de sua vida e trouxe algumas reflexões em respeito a suas próprias atitudes e comportamentos. Neste trabalho, apontamos um caso especifico onde o paciente pode perceber que se dedicava por demasiado ao trabalho e deixava o lazer de lado. 


 


Agradecimentos

Agradecemos ao Centro Universitário Faesa, por fornecer condições de realização deste trabalho e assim contribuir de maneira efetiva para a nossa formação prática por meio do incentivo à pesquisa na área cientifica e cultural.


 


Referências

FOLKMAN, S.; LAZARUS, R. S. An analysis of coping in a middle-aged community sample.Journal of Health and Social Behavior, v. 21,n. 3, p. 219-239, 1980.


Miller, W. R. & Rollnick, S. (2013)Motivational Interview – helping people change.3. ed. New York: The Guilford Press.


KNAPP, P. (org.). Princípios fundamentais da Terapia Cognitiva. In: ______. Terapia cognitivo-comportamental na prática psiquiátrica. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Publicado
2018-11-13
Como Citar
CEZARIO, ALESSANDRO FAZOLO et al. RELATO DE EXPERIÊNCIA: ESTÁGIO SUPERVISONADO BÁSICO IV. Anais da Jornada Científica e Cultural FAESA, [S.l.], p. 134 - 138, nov. 2018. Disponível em: <http://revista.faesa.br/revista/index.php/jornadaCientifica/article/view/460>. Acesso em: 24 abr. 2019.