VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA MULHER

CRIANÇAS E ADOLESCENTES COMO VÍTIMAS DIRETAS E INDIRETAS

  • MONICA TRINDADE SANTANA FAESA
  • Barbara Estephani Dariva
  • Lorena Sodré Souza

Resumo

Relata-se neste estudo os resultados parciais do atendimento psicológico prestado a crianças e adolescentes que presenciam, no cotidiano doméstico, a violência cometida contra suas mães por homens que compõem a dinâmica familiar. O estágio foi iniciado em abril\2018 e está em andamento. Tem como objetivo de prestar atendimento psicossocial aos filhos de mulheres vítimas de violência doméstica. Embora majoritariamente exercida sobre mulheres, esta modalidade de violência atinge também, direta e/ou indiretamente, crianças e adolescentes.  A importância deste projeto se dá a partir do momento em que ele contribui para uma nova perspectiva de vida e futuro para esses indivíduos em relação a tomada de consciência de sua realidade familiar, em relação a prevenção a violência, manter uma convivência saudável e protetora com sua família. Como método utilizamos o atendimento psicossocial, utilizando técnicas lúdicas e escuta psicológica. Os atendimentos acontecem todas as quartas-feiras, os atendimentos duram 40 minutos e são realizados em salas reservadas para o atendimento psicológico, no Fórum de uma cidade da Grande Vitória. As crianças e adolescentes são encaminhadas pelos magistrados responsáveis pelo julgamento de processos de violência doméstica contra mulher, quando avaliam que os filhos da mulher vítima de violência estão envolvidos na dinâmica da violência, ou ainda quando a mãe avalia que seus filhos precisam dos atendimentos psicológico. Há também a sugestão da equipe de psicologia do estágio quando percebe-se na fala do agressor ou da mulher vítima de violência que os filhos estão sendo vitimas direta ou indireta da violência. Os agressores e as mulheres também são atendidos em outras etapas do projeto. A análise dos atendimentos se dá na supervisão coletiva e nas leituras dos referenciais bibliográficos indicados pertinentes a atuação do psicólogo em mulheres e crianças em situações de violência. Os resultados parciais apontam que a violência tem repercutido sobre o desenvolvimento das crianças e adolescentes, afetando o desempenho escolar, as relações interpessoais entre pares, bem como as relações com seus pais e a presença da Síndrome da Alienação Parental, pouco manejo emocional.

Publicado
2018-11-13
Como Citar
SANTANA, MONICA TRINDADE; DARIVA, Barbara Estephani; SOUZA, Lorena Sodré. VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA MULHER. Anais da Jornada Científica e Cultural FAESA, [S.l.], p. 142 - 144, nov. 2018. Disponível em: <http://revista.faesa.br/revista/index.php/jornadaCientifica/article/view/477>. Acesso em: 24 abr. 2019.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##